Labirinto de Sonhos

Calma Menina

Calma menina. Foi a primeira coisa que disse a mim mesma. De repente, me senti sozinha, senti medo de tudo ao meu redor. Mas não era um medo comum. Era medo da vida. Medo do que tem por vir, medo de viver errado, medo de não ser feliz. Quando um frio subiu na espinha, a respiração ficou curta e o coração apertado. Não sabia o que fazer, pra onde correr, me vi perdida, abandonada. Estou com a cabeça cheia. Cheia de preocupações, cheia de julgamentos sobre mim mesma. Eu me cobro demais. Ás vezes sinto que luto contra mim mesma, e ao final de cada luta, meu coração se machuca cada vez mais. Me preocupo exageradamente com milhares de coisas, crio situações que nunca irão acontecer e sofro com elas. Sofro sim por antecipação. E eu conheço e reconheço cada pequena falha da minha alma. Penso se não nasci sendo um erro do destino, aquelas pessoas que não conseguem se encontrar nesse mundo. Pois é. Sou humana, sou normal e sou imperfeita. Faço muitas burradas todos os dias. Me arrependo por muita coisa. Queria que tudo fosse diferente. Queria ser normal. Talvez esse blog não existisse se eu fosse uma pessoa normal, talvez eu estivesse feliz tendo uma vida comum. Mas não. Parece que sou aquele borrão que o pintor faz sem querer na tela. Aparentemente sem sentido. Acredito que todos nascemos com um propósito, mas às vezes isso é difícil de acreditar. Acredito no meu sonho, mas por muitas vezes duvido que sou capaz de alcançá-lo. Me sinto sei lá, tão inútil, tão sem graça, tão… sem sentido.  Minha reação? Chorar, chorar e chorar. Chorar e ver minha esperança desmoronando, dói olhar para cada um deles, me lembram a dor de minha alma perdida. Tentava me controlar, me acalmar, mas nada surtia efeito. Me perdi no meio de tanta dor, me perdi em meio a tantas coisas, tantas responsabilidades, tantos julgamentos. Não sei para onde seguir, não sei para onde foi minha paz, não sei quando minha mente passou a ser esse caos. Me perdi dentro de mim, não conseguia achar uma saída, uma esperança. Eu era atacada por meus pensamentos desorganizados, perdi o sono, perdi a calmaria. Onde eu poderia me encontrar? O que fazer para encontrar a parte de mim que se perdeu em meio à dores e preocupações?

Dói sentir saudade
Coloque mais carinho em si

Receba as novidades: